ACADEMIA BRASILEIRA DE COACHING E PNL

Blog

6 razões para a autosabotagem

Blog

Autosabotagem

Não deveria, mas existem motivos.

Autosabotagem é quando você coloca pedras em seu próprio caminho para dificultar ou interromper sua jornada. Ela pode interferir em seus planos e objetivos mesmos aqueles mais bem elaborados.

Como podemos fazer algo assim?

Existem muitas razões pelas quais inconscientimente a pessoa não deseja ter o sucesso que tanto sonhou, essa é realmente a maior incoerência da vida.

Existem inúmeras maneiras de autosabotagem, mas a procrastinação, automedicação com drogas ou álcool, excesso de estresse e conflitos interpessoais estão entre os mais utilizados e reconhecíveis. Essas ações podem ser especialmente perigosas porque são muito sutis. Você pode não notar aquele lanche extra que está comendo, ou a bebida adicional que deseja encomendar. Para o momento podem até parecer acalmar e relaxar você. No entanto, à medida que essas ações aumentam, as construções de auto sabotagem podem criar um poço profundo de autoderrota, que é difícil de sair.

 

Seis grandes razões para a autosabotagem.

 

Autoestima:

Você sente que não é merecedor de sucesso ou felicidade. O cúmulo da ironia é quando algumas das pessoas muito motivadas trabalham duro para ter sucesso, porque sentem que precisam compensar a crença auto imposta de sentir-se menor. Mas quando os frutos de seu trabalho levam a coisas boas, seja um benefício material, ou aumento de status ou poder, eles pioram a situação para si mesmos. Por que será que fazem isso? O conceito de dissonância cognitiva mostra alguma luz sobre a resposta. É da natureza humana ser consistentes, nossas ações tendem a estar em sintonia com nossas crenças e valores. Quando não, fazemos um esforço para alinhá-los novamente. Se começarmos a acumular as vitórias e realizações, ainda assim nos vemos como defeituosos, sem valor, incapazes ou deficientes, então puxamos a alavanca para nos livrar da dissonância. Se é ruim sentir-se por baixo, fica ainda pior sentir-se por cima.

Controle:

É melhor estar no controle do seu próprio fracasso, do que a possibilidade de não conseguir controlar o sucesso. A auto sabotagem pode ser uma coisa feia, mas é melhor do que perder o controle de sua vida. Seu carro é velho mas é possível ter controle total, os novos vem com muita tecnologia e são difíceis de controlar. Assim pensam algumas pessoas quanto ao estar no controle de sua própria vida.

Fraudes percebidas.

À medida que você continua subindo, sendo promovido para uma nova posição, até consegue níveis mais altos de educação. E então sente que sua queda será ainda maior, quando inevitavelmente se derrubar. Se você chamar a atenção para seus triunfos, é mais provável que seja chamado de falso. Isso também é conhecido como boa síndrome do impostor.

Como isso se manifesta?

Você pode fazer o mínimo e esperar que ele passe despercebido. Ou você pode trabalhar duro pegando pesado, mas aí vem a preocupação, você será revelado a qualquer momento. De qualquer maneira, sentir-se como uma fraude, facilmente o leva à procrastinação e diversão. Se você for confrontado com uma tarefa a qual faz você sentir-se falso, é muito mais que tentador visitar o facebook novamente, pesquisar sites ou perceber que não há tempo melhor que o presente para iniciar imediatamente um novo projeto.

Para um bode expiatório acessível.

Se as coisas não são resolvidas (ou quando elas não são resolvidas, porque essa é a única opção, certo?), podemos culpar a ação em vez de nós mesmos. Claro que ela me deixou, eu nunca estava por perto. Claro que eu falhei na aula, mal estudei para exames. Embora essas razões possam ser verdadeiras, elas são mais frívolas, e mais fáceis de entender e de engolir do que as razões mais profundas pelas quais apenas acreditamos ser verdade. Claro que ela me deixou, não era digno de seu amor. Claro que falhei na classe, eu sou incapaz de agarrar o material.

Familiaridade

Novamente, as pessoas gostam de ser consistentes. Nós até tendemos a escolher a consistência em relação ao nosso próprio contentamento. Se você está acostumado a ser ou a se sentir negligenciado, maltratado ou explorado, é estranhamente reconfortante se colocar nessa posição. Você provavelmente esteve lá toda a sua vida, e enquanto você não pode ser feliz, o que você conhece é preferível ao desconhecido.

Puro tédio.

De vez em quando, nos autosabotamos simplesmente para gerar conflitos. Escolher uma briga e incitar o drama pode dar agito. E é claro, não são atos aleatórios. Sabotagens cria o sentimento familiar de instabilidade e caos. Além disso, se estamos presos na parte inferior, poderemos também mostrar que existe poder em se estar lá.

Como então você pode parar de cortar o galho da árvore na qual está sentado?

Medo de fracasso.

Eu sempre pensei na autosabotagem como sendo medo do sucesso. Mas depois de algumas pesquisas esse pensamento está mudando. Acredito que o desespero maior é o medo do seu próprio valor. É o medo de tentar o melhor e não ser consistente o suficiente para se manter lá. É o pavor de ser descoberto e humilhado publicamente ao ser chamado de impostor. É o medo de que seu melhor não seja bom o suficiente. Isso já é bastante para continuar se preparando e procrastinando o dia da busca desse objetivo.

Se você é muito crítico e com mania de perfeição, pode muito bem estar nesse time.
Compartilhar este artigo:

3 thoughts on “6 razões para a autosabotagem”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preparamos você para ser um vencedor. Acredite – você é capaz de superar qualquer dificuldade para chegar onde desejar – vamos te dizer como.