ACADEMIA BRASILEIRA DE COACHING E PNL

Blog

Inteligência emocional – Automotivação

Blog

Autogestão de suas emoções

A força de impulso para você agir.

Quando você busca a automotivação, está de certa forma procurando emoção, pois a motivação tem um componente emocional. As duas palavras também compartilham a mesma raiz latina “movere”, que significa “mover-se”. Movere ora vocalia: cantar. A maioria das pessoas sentem dificuldades em perceber suas emoções. E quando tentam entender a do outro torna-se mais difícil ainda. Vamos esclarecer, a automotivação é um assunto que precisa ser bem estudado e exercitado. Sem automotivação não há como alcançar objetivos, pois fica faltando força propulsora.

como o processo se realiza em si e naqueles que o cercam vai dar a você uma enorme vantagem. Há que entender também que isso tudo acontece na sua própria mente. Por conseguinte só você pode executar a automotivação. Se esse é um processo que pode ser criado conscientemente, é sua mente que estará no comandado. A motivação demanda um certo grau de estresse, no entanto benéfico, pois é dessa emoção que vem a força necessária para alcançar aquela meta previamente estabelecida ou qualquer outra coisa com valor emocional equivalente.

Como a emoção se processa

A emoção é um processo que começa na parte irracional do cérebro e vai até o racional, ou seja, inicia recebendo um estímulo pelas vias sensoriais dos cinco sentidos, se transforma em linguagem do cérebro e em forma de mensagem é enviada até o sistema límbico (parte inconsciente), daí ao córtex (parte consciente) onde é analisada racionalmente. Com a automotivação acontece justamente o contrário, começa na parte racional, ou seja, no córtex onde o raciocínio acontece, e vai buscar a emoção necessária ao impulso que o remeterá ao ponto desejado.

Para ser mais especifico, são os neurotransmissores que provocam essas mensagens eletroquímicas para que você se mantenha alerta e empenhado na sua tarefa. Os neurotransmissores transportam essas mensagens que acontecem no cérebro e afetam todo o seu do corpo. Um neurotransmissor que desempenha um papel fundamental na ciência da motivação é a dopamina. O sinal químico da dopamina passa de um neurônio para o próximo, e entre esses dois neurônios a dopamina interage com vários receptores dentro da sinapse.

Para a motivação especificamente, o mais importante é o caminho que a dopamina toma. Existe uma via chamada mesolímbica, que vem do meio do cérebro e ramifica para vários lugares, um deles é o córtex cerebral, e essa é a via de recompensa mais importante do cérebro. Uma das paradas da mesolímbica é o núcleo accumbens. Quando há uma quantidade aumentada de dopamina no núcleo accumbens, ele desencadeia uma resposta que prevê recompensas. Quando o cérebro reconhece que algo importante está prestes a acontecer, ele libera a dopamina.

O que faz sua dopamina disparar?

A dopamina executa suas tarefas antes de obter recompensas. Isso significa que seu verdadeiro trabalho é motivar a ação, seja para conseguir algo bom ou para evitar algo ruim. Foi muito divulgado no meio científico que a dopamina seria o neurotransmissor do prazer. No entanto quando pesquisadores analisaram com mais atenção, perceberam alguns fenômenos estranhos. Liberação de dopamina acontece também em momentos de alto estresse. Como quando os pesquisadores reproduziram sons de disparos enquanto analisavam soldados com TEPT (transtorno de estresse pós-traumático). Para aquelas pessoas o som que ouviram era de total desprazer, no entanto inicializou-se a produção de dopamina.

Centro de produção de dopamina

Circuito dopaminérgico
Circuito dopaminérgico

Em outro estudo, uma equipe de cientistas de Vanderbilt mapeou os cérebros de gente de sucesso e descobriram que as pessoas que tinham muita disposição para o trabalho, tinham maiores níveis de dopamina no estriado e no córtex pré-frontal, duas áreas conhecidas por impactar motivação e recompensa. Entre os menos empreendedores, a dopamina estava presente na ínsula anterior, uma área do cérebro envolvida na emoção e percepção de risco. Como o pesquisador da University of Connecticut, UConn, John Salamone, explica: “Baixos níveis de dopamina tornam as pessoas e outros animais menos propensos a trabalhar para conseguir coisas, por isso tem mais a ver com a motivação e as análises custo / benefício do que o próprio prazer”.

Como trabalhar sua dopamina para se mais produtivo

A automotivação acontece quando algo importante está prestes a acontecer. Veja como isso pode afetar sua produtividade. O cérebro pode ser treinado para se alimentar de doses de dopamina provocadas por experiências gratificantes. Você gera as expectativas e o cérebro dispara a dopamina. Uma maneira de alcançar essas experiências gratificantes é estabelecendo metas incrementais. A dopamina fluirá como resultado do reforço positivo do seu cérebro, sempre que você se encontrar a um passo de enfrentar um desafio.

Veja como obter o seu fluxo de dopamina

Registre pequenas realizações. Uma lista de tarefas reforça a forma como você está organizando seus objetivos. À medida que você se perceber fazendo mais progresso, sentirá maiores efeitos da dopamina. Compartilhe resultados com sua equipe. Comunicando sobre seus resultados (sejam positivos ou negativos) significa que outros reconhecerão seu trabalho, resultando em feedback mais positivo. Elogiar e reconhecer o trabalho de seus colegas também pode aumentar a sua dopamina. Mantenha a tarefa com pequenos prazos. Permanecer inteiramente focado em uma tarefa de cada vez, irá forçá-lo a não se sentar e fazer o trabalho. Quanto mais você fizer isso, mais você verá feedback positivo (através do seu trabalho sendo feito), o que aumentará sua dopamina.

Concentre-se em quão grande você se sentirá quando seu projeto estiver completo. Um estudo realizado por professores da Universidade de Michigan descobriu que o foco direcionado aos resultados motivou as pessoas a completar seu trabalho. Aumente a sua dieta com alimentos cheios de dopamina. Segue uma relação: alimentos como amêndoas, abacates, bananas, frango, café, ovos e iogurte foram testados e aprovados para aumentar os níveis de dopamina naturalmente. Você pode também aumentar sua dopamina através de feedback positivo, e isso acontecerá enquanto você acompanha o progresso da sua listagem.

O sucesso só pode ser encontrado se sua rota passar pelo cérebro.

Compartilhar este artigo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preparamos você para ser um vencedor. Acredite – você é capaz de superar qualquer dificuldade para chegar onde desejar – vamos te dizer como.